3 de jan de 2016

Esfihas do Céu

Se você for vidente será possível ver as mãos dos anjos na foto, largando o prato.

Buenas!


Na minha estréia aqui no blog, o nome da postagem tem a ver com a foto das Esfilhas. 

Parece que foram entregues por algum ser supremo, para minha redenção. 

E foram mesmo, pois consegui dar fim ao resto de guizado (carne moída para os que moram acima do Mampituba) que estava dando sopa na minha geladeira.

Os ingredientes são:

Para a massa:


500 g de farinha de trigo
1 colher de sopa de açúcar
2 saquinhos de 10 g de fermento biológico seco
1 xícara e 1/4 de água (temperatura ambiente se a temperatura estiver acima de 25º C. Abaixo disso, morna.)
50 g de manteiga
1 colher de chá de sal

Para o recheio:


1 colher de sopa de azeite de oliva
1 cebola
1 dente de alho espremido
500 g de guizado (ou carne moída)
2 tomates em cubos
Sal e pimenta a gosto.

#COMOFAS


Iniciaremos pelas lendas. Reza a lenda que não se mistura fermento com sal. Tem muita explicação na internet sobre o assunto, inclusive gente dizendo que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Como "Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay..." prefiro seguir o conselho. Se quiserem sentir o gosto do perigo, podem misturar o sal e o fermento e me digam como foi nos comentários.

Antes de mais nada, misture a água, o fermento e o açúcar em um recipiente separado e aguarde uns 5 minutos.

Então comece com um bowl (tigela, vasilha, como preferir) ou uma mesa de trabalho limpa e asseada (como a sua apresentação na segunda série no colégio desde o primeiro dia de aula deveria ser).

Faça um buraco no centro (isso mesmo como um vulcão da feira de ciências do mesmo colégio), e despeje aos poucos água da mistura anterior, misturando com um garfo ou mesmo com as mãos, até ter uma massa uniforme.

Bom, aqui vem a adaptação principal da receita. Havia derretido a manteiga para colocar na massa junto com a mistura da água com o fermento e açúcar, mas esqueci. Não sei se faz alguma diferença a adição deste ingrediente específico nesta etapa, mas o fato é que a massa pareceu sobrenaturalmente macia, logo, sugiro que coloquem a manteiga derretida após a massa ter sido misturada. Se quiserem experimentar junto com a mistura, à vontade. Lembrando sempre que a manteiga deve estar a temperatura ambiente.

Finalizando, adicione o sal e sove bastante, até ter uma massa firme, lisa e macia.

Deixe descansando, enquanto prepara o recheio.

Inicialmente, para o preparo do recheio, refogue em fogo médio a metade da cebola picada no azeite até que ela comece a ficar transparente. Adicione então o alho e espere mais alguns segundos até que tudo fique quase dourado. 

Acrescente a carne até que ela cozinhe. Este processo libera um pouco de água, então espere um pouco até que água reduza.

Coloque o tomate e em seguida o sal e a pimenta. Assim que o sabor estiver bom, adicione o resto da cebola, misture e desligue o fogo. 

A ideia é que a cebola perca parte de sua picância, mas que preserve um fundo para o recheio, sem ficar forte demais. Assim que terminar experimente. Lembre-se que quanto mais você cozinha a cebola, mais a picância se vai. 

Se preferir, pode fazer o processo colocando a cebola em água quente por 1 minuto e depois na água gelada, para parar o cozimento e então misturar ao recheio já frio.

Montagem:


Antes de tudo, pegue a massa que estava descansando e separe em 10 bolinhas. Se for preciosista como eu, use uma balança para que fiquem iguais. Senão, vá no olhômetro mesmo.

Abra elas em circulo e siga o gif ao lado para ver como funciona. Lá vai um gif tosco já que esqueci de fotografar esta parte. :/
As linhas vermelhas são das bordas nas quais 
você deve apertar para fechar a esfiha.

Bom pessoal, aí é fácil: forma untadinha ou anti-aderente e forno (pré aquecido por 5 min) na temperatura de mais 220ºC.

Quinze minutinhos e voilà! Aí é só se deliciar.

Espero que tenham gostado!


2 comentários: